A VERDADEIRA LUZ: Nele (o Senhor Jesus) estava a vida, e a vida era a luz dos homens; a luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. Pois a verdadeira luz, que ilumina a todo homem, estava chegando ao mundo e o mundo não o conheceu. João 1:4,9,10

A BOA SEMENTE E O JOIO: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeou boa semente no seu campo; mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. Mateus 13:24.25

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

As Filhas da Sanguessuga

Dá   e   Dá
Dá e Dá

Em Provérbios 30.15 está escrito: “A sanguessuga tem duas filhas, a saber: Dá, Dá.” Interessantes estas palavras. Me fazem pensar no que tenho ouvido em algumas (ou talvez em muitas) pregações e canções. O que mais se ouve atualmente, são mensagens que prometem “bênçãos”, “restituição”, “você tem direito”, “Dá, Dá”, “Bla, Blá, Blá”.

Paulo (não eu) disse algumas coisas a Timóteo: “O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios.” (1 Tm 4.1); “Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas(2 Tm 3.1,2); “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos.” (2 Tm 4.3) e “Pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.” (1 Tm 6.7,8).

Tudo isso parece meio contraditório, a Bíblia (Palavra de Deus) diz uma coisa, mas de alguns púlpitos e em alguns CD’s ouve-se outra coisa. Será que é por que a segunda vende mais do que a primeira? Parece que os ouvidos de muitos já estão coçando.

Outro dia ouvi uma mensagem que questionava se você precisa pagar carnês, fazer correntes (campanhas) e outras coisas semelhantes para ser abençoado. Faço minhas estas palavras. Que evangelho é este? Que Deus é este? Para que serviram os ensinos de Jesus na oração do Pai nosso? O que é prioridade nesta oração?A vinda do Reino de Deus (pois Ele é o Rei de nossas vidas), o cumprimento da vontade de Deus (e não da nossa), o pão de cada dia (e não o carro novo, a casa nova, a aquisição de outros bens), ser perdoado na mesma proporção em que perdoamos, não querer cair em tentação e ser livrado do mal. Isto não são meras repetições, mas um modelo de oração.

Como a boca fala do que o coração está cheio, muitos não conseguem orar assim. Jesus nos ensinou sobre a necessidade de sermos santos, humildes, e não gananciosos. Isto não quer dizer que não possamos ter um bom emprego, um carro, uma casa, roupas, etc. Ele nos ensinou que estas coisas não podem ser nossas prioridades.

Por que você vai à igreja? Por que você “adora” a Deus? Ouço muitos irmãos dizerem: “Vou ao culto para buscar minha bênção”. Espere um pouco! O culto não é para Deus? Então eu vou lá para receber ou pra dar? De acordo com alguns pregadores e cantores, vou pra adorar e em consequência sou abençoado. Quer saber? Ou você muda de “religião” ou se converte completamente a Jesus.

Culto não é lugar de pedir ou de receber nada. Costumo dizer que a única coisa que se deve pedir na adoração é a Presença manifesta do Senhor.  Que tipo de noiva Jesus vem buscar, uma virgem ou uma prostituta?

Alguns poderão dizer: “Mas, irmão, Jesus disse que tudo o que pedirmos em Seu nome nos seria dado”, sim, ele disse e isso foi escrito por João em Jo 14.14, porém, o mesmo João completou em 1 Jo 5.14: “…se pedirmos alguma coisa de acordo com a vontade de Deus, ele nos ouvirá”. Voltemos ao Pai nosso – seja feita a tua vontade. O que tem levado muitas pessoas aos templos é o “evangelho da sangessuga”, que ensina a orar: “DÁ, DÁ”.

Isto é uma obra de engano que foi profetizada por Paulo, conforme já vimos. Adoro a Jesus independentemente do que Ele me dê. Ele já me deu algo que ninguém mais poderia dar,me deu Sua vida,  me deu seu amor, o perdão dos meus pecados, me deu o direito de ser filho de Deus. Quero estar com Ele por toda a eternidade onde Ele estiver.

Como disse Pedro, espero e quero apressar Sua vinda (2 Pe 3.12). Adoro a Jesus por que o amo. Com carro ou a pé, com dinheiro ou sem dinheiro, tendo uma mansão ou uma casa humilde, porém com PAZ e ALEGRIA em meu coração. Alegria de ter sua presença em mim, e por saber que a cada dia posso conhecê-lo mais e mais.
Amém. Vem, Senhor Jesus!
João Batista Weinem

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

ESTÁ MUITO OCUPADO?


http://teachervjcpjoani.blogspot.com.br/2014/01/esta-muito-ocupado.html
 
 
Pessoas que tentam ser simpáticas, às vezes perguntam: “Você está muito ocupado?” A pergunta parece inocente, porém em minha opinião ela abrange uma mensagem ardilosa. Sob a superfície, é um teste de valor pessoal. Se não posso memorizar uma lista de coisas que tenho para fazer, sinto como se estivesse admitindo que não tenho muito valor.

 
Mas, Deus determina nosso valor pelo quanto estamos ocupados? Ele calcula nosso valor através do quanto realizamos? Recompensa-nos por vivermos à beira do esgotamento e não cuidarmos de nós mesmos?
 
Um dos primeiros versículos que eu aprendi quando criança foi Mateus 11:28, “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” Na época, não significou muito para mim porque nada entendia sobre o cansaço. Contudo, agora que sou mais velho, sinto a tentação de acompanhar o ritmo do mundo para não ser deixado para trás.
 
Entretanto, os seguidores de Jesus não precisam viver assim. Ele não somente nos libertou da escravidão do pecado, mas também da dependência de termos que provar nosso valor. Fazer muito para Deus nos faz sentir importantes, porém o que nos torna importantes para o Senhor é o que nós permitimos que Ele realize em nossas vidas — nos moldando à imagem de Seu Filho (Romanos 8:28-30). 
 
 
Nosso valor não é medido pelo que fazemos para Deus,mas pelo que Ele faz em nós. (RBC)

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Tudo muda quando você pertence a Deu

BOM DIA!

Tudo muda quando você pertence a Deus.

O apóstolo João afirmou em 1 João 4.6: “Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve; aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.”

Como faz bem ouvir: “nós somos de Deus.” Quando alguém sabe que pertence a Deus, é dEle e vive com Ele num laço de intimidade, como tudo isso faz bem a alma.

Faz bem porque Deus não está distante e indisponível; faz bem porque Deus não é um objeto da religião e ninguém precisa trazê-lo e apresentá-lo; faz bem porque Deus é uma pessoa que se abre para relacionar com a vida, com o cotidiano, com os problemas e com as alegrias.

Aquele que é de Deus tem uma característica básica: ele ouve a verdade, ele quer saber sobre os ensinos de Deus para viver, compartilhar e agir. O que pertence a Deus clama por sua voz. Ouvir a doce voz de Deus é algo indizível!

Hoje você pode decidir ouvir a voz de Deus e pertencer a Ele. Imagine como sua vida mudará? Pense nas possibilidades concretas de transformação dentro de si mesmo. Que escolha tremenda!

Convido você a abraçar o “espírito da verdade” e abandonar o “espírito do erro”. Ranque tudo aquilo que lhe prende e lhe confunde; que tanto enche você mais de si mesmo, menos de Deus e longe das pessoas.

Pertença a Deus!

Tenha um bom dia!

Ps - Esse "Bom dia" foi bom para você? Compartilhe com outros! Faça parte da "corrente do bem".

sábado, 19 de outubro de 2013

"Has John Piper Lost His Mind?"


Reblogged from  www.solasisters.com
Posted by Christine Pack



So said my sister in a phone call shortly after the start of this year's Passion Conference, taking place now in Atlanta, GA (Jan 1-4). I'm sure she said this with all due respect to Dr. Piper, who has long been looked to as a solid teacher of the Reformed tradition. And yet in recent years, Dr. Piper has gone about giving his stamp of approval to various and sundry teachers, many of them solid and trustworthy, but some of them quite dangerous.

This stamp of approval first reared its ugly head when Dr. Piper brought out a young whippersnapper named Mark Driscoll as his keynote speaker at a Desiring God conference, years ago. In 2006, to be exact. This was the same Driscoll who went on later to shock us with his pornographic divinations and his fascist like handling of church members.  And yet, no public rebuking or distancing has gone on, that I know of, between Dr. Piper and his protégé.

Then Rick Warren got Dr. Piper's stamp of approval at the 2010 Desiring God Conference. Yes, that's right, Rick Warren. To paraphrase my friend Pastor Bob DeWaay, what made this particular alliance so very shocking was that Dr. Piper, who has long been regarded as one of the faithful few guarding the flock against false teaching was the very one who had opened the pen gate and ushered the wolf (Warren) right into the fold of his Desiring God conference.

"Watch out for false prophets. They come to you in sheep's clothing, but inwardly they are ferocious wolves." Matthew 7:15 

"But even if we or an angel from heaven should preach a gospel other than the one we preached to you, let him be eternally condemned!" Gal 1:8 

"Watch yourselves, so that you may not lose what wea have worked for, but may win a full reward. Everyone who goes on ahead and does not abide in the teaching of Christ, does not have God. Whoever abides in the teaching has both the Father and the Son. If anyone comes to you and does not bring this teaching, do not receive him into your house or give him any greeting, for whoever greets him takes part in his wicked works." 2 John 1:8-11

"I urge you, brothers, to watch out for those who cause divisions and put obstacles in your way that are contrary to the teaching you have learned. Keep away from them." Romans 16:17
Then, out came the approval stamp again at last year's Passion 2012 Conference, when Dr. Piper stood benignly by on stage as Louie Giglio exhorted the audience members to "(hear) the voice of God speak," during a Lectio Divina-ish type mystical prayer exercise.

And now we have this year's Passion 2013 Conference, currently underway in Atlanta, GA, at which John Piper is sharing the stage with false teachers Jesus Culture. Don't know who Jesus Culture is? Oh well, let me fill you in: Jesus Culture is an offshoot group out of Bill Johnson's heretical Bethel Church in Redding, CA. That's right, the same Bill Johnson of the glory dust and the angel feathers fame.




So why doesn't Dr. Piper storm out on the stage at Passion like a man on fire and rebuke this madness? Or, he could leave the conference and write an eloquent and heartfelt apology for his part in confusing the flock in his care by knowingly linking with false teachers.  I'd be all for that. And yes, I get that he's just a man, and no man is perfect. I'm not expecting perfection, but what I do desire to see is him seriously taking to heart the admonition in Scripture that not all should teach because those who do are judged more strictly (James 3:1). BUT, if Dr. Piper is unwilling to repent of going around giving false teachers his stamp of approval, then maybe one of our Godly pastors could fly to Minneapolis and wrestle the stamp away from him to keep him from further harming the flock. Just a thought.

"For an overseer, as God's steward, must be above reproach. He must not be arrogant or quick-tempered or a drunkard or violent or greedy for gain, but hospitable, a lover of good, self-controlled, upright, holy, and disciplined. He must hold firm to the trustworthy word as taught, so that he may be able to give instruction in sound doctrine and also to rebuke those who contradict it." Titus 1:7-9

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Não, Caio Fábio, Jesus Não É Sua Chave Hermenêutica

0[1]Por Yago Martins

Nas primeiras vezes que eu li o texto da Grande Comissão e vi Cristo dizendo que deveríamos ensinar os discípulos a obedecer tudo o que Ele ordenou, eu fiquei me perguntando onde o resto do Novo Testamento entrava nisto. Não bastaria ficarmos com aquilo que Cristo falou, e só? Se temos os ensinos do próprio Deus-Filho registrados, para que mais palavras de homens mortais? Com pouco tempo de fé, pude encontrar boas respostas para meus questionamentos infantis. Porém, muitas pessoas ainda estão confundidas com este assunto. Um exemplo de promotor deste tipo de confusão é Caio Fábio, que hoje tem arrebanhado para sua religião muitos seguidores e fiéis:

Eu estou em Jesus, eu não estou na Bíblia. [...] O cara que quiser que Jesus e a Bíblia toda deem certo tá danado. [...] Pela Bíblia é melhor a gente acabar esse programa porque está todo mundo danado. [...] eu não ando [conforme o texto bíblico], tanto quanto Jesus [...]. Quem quer andar com Jesus, é assim. Quem quer base bíblica, vira fariseu, joga pedra.[1]

Em outro lugar, Caio Fábio diz que aquilo na Escritura que não está afirmando ou que 1. Jesus é Deus, ou que 2. somos pecadores, não passa de capricho ignorando por Cristo:
É estranho como Jesus e os apóstolos não usaram a Bíblia como argumento de fé [...] Afinal, a Bíblia jamais seria a apologia de Jesus; posto que Jesus fosse o Verbo vivo e falando o que a Bíblia nem poderia sonhar em falar, revelar e dizer… Cristãos que vivem para defender a Bíblia ainda não conheceram Jesus mesmo! [...] Da Bíblia o que se pode dizer é que ela é fiel como Palavra apenas porque afirma que Jesus é Deus e eu sou dos pecadores o principal! O mais é um diletantismo ao qual Jesus jamais teria tempo e animo para se dar… Depois que o Evangelho entrou em mim a Bíblia passou a ser apenas um Testemunho, mas não o Testemunho! Sim, pois em mim o Testemunho é o do Espírito! [2]

Em outro momento, concordando que o Jesus dos evangelhos não se parece nada com o Jesus que Paulo apresenta em Romanos 9-11, chamando esta posição de “simples, sábia e sensata”, Caio Fábio diz que estes capítulos são “um apêndice de um surto paulino” que não se parece com nenhum outro escrito ou com a prática de Paulo. “Na minha opinião, Romanos 9, 10 e 11 são totalmente dispensáveis. Sabe porque? A descrição de Paulo, tentando explicar o inexplicável, criou uma bananosa filosófica”. Ele ainda diz que as palavras negativas do texto, como “odiou”, não cabem, pois “não parecem com o todo de Jesus”. “Eu prefiro ficar com Jesus, que não sendo Paulo”, pregou coisas diferentes.

“Isso é o poder dessa chave hermenêutica”, diz ele. ”Meu amigo Paulo, eu lamento muito que você tenha tentado fazer essa viagem. Você não tinha nem linguagem. Você não tinha adequação”. ”É uma conversa que tem a ver com a dimensão de um homem judeu, psicologicamente maltratado, frustrado, perseguido, magoado”. Ele diz que vê, neste texto, “o surto do Paulo judeu”. Ele chama ainda, esta atitude de Paulo de uma “gafe” que empobreceu e enfeiou Deus. “quando Paulo coincide com Jesus, Paulo tá com tudo, quando Paulo fala como Paulo, eu olho um homem, um tempo, uma relatividade, uma circunstância”. Ele, literalmente, lança várias repreensões e conselhos ao apóstolo Paulo em vários momentos do vídeo [3].

A prerrogativa que ele e seus discípulos usam para tal posição é que eles possuem Jesus como chave-hermenêutica. Para eles, isso significa que só deve ser aceito como verdade Bíblica aquilo que for semelhante à imagem que eles possuem de Cristo. Se qualquer outro trecho da Escritura ensinar algo que, porventura, não pareça pertencer ao Cristo, então deve ser considerado anátema.

O que Caio Fábio e seus pupilos não conseguem perceber é que ter Jesus como nossa chave hermenêutica significa que nós vamos ler toda a Escritura procurando como cada ensino, cada doutrina e cada livro se relaciona com o Plano maior de Deus na redenção de Cristo, e não que vamos solapar tudo aquilo que não gostamos na Escritura com a desculpa de que “Jesus não pregaria isso”. Assim, uma constatação torna-se inegável: praticamente todos que advogam ter Jesus como chave hermenêutica são ímpios que leem a Escritura desconsiderando tudo aquilo que suas mentes carnais odeiam. 

Você encontra esta loucura nos blogs e comentários de tais homens. Ter Cristo como chave hermenêutica deveria nos motivar a encontrar como a história do Evangelho está prefigurada, confirmada, anunciada, ilustrada ou ensinada em cada página da Bíblia, e não nos fazer arrancar da Escritura tudo aquilo que a gente acha que Jesus não diria. Aqueles que dizem que as palavras de Jesus são mais importantes que as de Paulo, não entenderam as palavras de Jesus.

Eu, sinceramente, não entendo como uma pessoa inteligente pode cair em erro tão crasso. A igreja está fundamentada na doutrina dos Apóstolos (Ef 2:20). Nós não vimos Jesus pessoalmente, eles sim. Por isso que Pedro e João podiam falar sobre “as coisas que vimos e ouvimos”, pois eles estavam lá, e atestaram com sangue o que pregaram. Assim, como alguém comentou no meu Facebook certa vez, só pode ser um louco aquele que cisma em separar o ensino Bíblico do ensino de Jesus, a autoridade bíblica da autoridade de Jesus e a visão bíblica da visão de Jesus. Os discípulos precisam de toda a Escritura, e não de parte dela.

É um verdadeiro insulto a Jesus dizer que nada, a não ser parte do que foi registrado de Sua Revelação ao longo da história bíblica – a encarnação – vale a pena considerar como Palavra do Senhor. É como se dissessem que amam tanto suas esposas que não se importam com as mães, amigos, família, conversa ou qualquer coisa que não seja ela própria. Estes caem na condenação de Jesus, através de Paulo, quando condena aqueles que, dizendo ser apenas de Cristo, se recusavam a ouvir o que diziam os apóstolos (ver 1 Co 1:10-17).

Cristo prometeu aos seus apóstolos não apenas que o Espírito Santo os faria “lembrar de tudo o que vos tenho dito” (Jo 14:26), mas também que o Espírito Santo “vos ensinará todas as coisas” (Jo 14:26) e “vos guiará a toda a verdade” (Jo 16:13). Os apóstolos receberam de Cristo, através do Espírito, mais daquilo que o Senhor desejou que soubéssemos. O próprio Jesus deixou claro que ensinaria mais aos Apóstolos mesmo após Sua morte e ascensão. Paulo deixa isso claro aos Gálatas: “Irmãos, quero que saibam que o evangelho por mim anunciado não é de origem humana. Não o recebi de pessoa alguma nem me foi ele ensinado; pelo contrário, eu o recebi de Jesus Cristo por revelação” (Gl 1:11-12). É por isso que o apóstolo Pedro podia dizer que “o mandamento do Senhor e Salvador” foi “ensinado pelos vossos apóstolos” (2 Pe 3:2), além de dizer que os escritos de Paulo estavam equiparados com todo o Antigo Testamento, chamando-os de “Escritura” (2 Pe 3:16). Paulo podia dizer: “Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo” (1 Co 14.37).

O apóstolo agradecia a Deus sem cessar pelos Tessalonicenses: “ao receberem de nossa parte a palavra de Deus, vocês a aceitaram não como palavra de homens, mas segundo verdadeiramente é, como palavra de Deus” (1 Ts 2:13). Paulo ensinava “não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito” (1 Co 2:13). Paulo não poderia ser mais claro: “Cristo fala por meu intermédio” (2 Co 13:3).

Outros livros também entram neste escopo. O próprio Paulo, em 1 Timóteo 5:17,18 diz fazer uma citação da “Escritura”, e segue fazendo duas referências: uma a Deuteronômio 25:4 e outra a Lucas 10:7 (usando até o mesmo fraseado grego)! Para o apóstolo, os escritos neotestamentários dos evangelhos também eram Palavra de Deus. Tanto os Evangelhos como as Epístolas no Novo Testamento vêm a nós com a autoridade de Jesus, e Ele quer que nós ensinemos essas coisas aos discípulos.

“Somos seguidores de Cristo ou de Paulo?”, podem perguntar alguns. “Como podemos seguir o ensino de outros homens além de Jesus?”, já me foi questionado. Respondo, com sinceridade, que Cristo é meu único Senhor. No entanto, tudo o que sabemos sobre Cristo vem de Paulo e dos outros discípulos de Cristo. Se não acreditarmos nestes, não nos sobra nada dAquele. Como alguém pode dizer que só segue Jesus, e não os apóstolos, se todos os registros que possuímos sobre Jesus provêm dos apóstolos e de seus companheiros? Cristo nunca escreveu sobre si. Tudo o que temos sobre Ele passou pela mão de seus discípulos primitivos.

Crer em Jesus está definitivamente ligado a crer nos Apóstolos e em seus companheiros. Se você não acredita na doutrina de Paulo, de Tiago, de Pedro, de Lucas, de Marcos, de Mateus, de João e de Judas, como você pode acreditar nos registros que alguns deles fizeram do Messias? Se Paulo disse algo em Romanos ou aos Coríntios que foi fruto de seus preconceitos ou de sua criação judaica, por que ele não poderia ter feito o mesmo ao instruir Lucas em seu registro do Evangelho? Se Pedro não é digno de toda a nossa confiança, ou se sua doutrina é inferior ou secundária, como podemos dar tanta atenção àquilo que Marcos aprendeu dele e registrou no Evangelho? Se Tiago poderia errar, por que não Mateus? Se João se enganou em suas epístolas ou no Apocalipse, por que acreditamos em seu registro da vida do Logos? A verdade que muitos tolos ignoram é que, ou você aceita o Novo Testamento por completo, até a última letra, ou você não tem Jesus, não tem cristianismo, não tem Bíblia, não tem fé e não tem salvação. Ou temos o Novo Testamento por completo ou não temos Testamento nenhum.

Deve-se admitir, então, que se vamos ter uma religião não doutrinária, ou uma religião doutrinária fundamentada meramente em verdades gerais, isso significa que não somente temos que nos livrar de Paulo, da igreja primitiva de Jerusalém, mas também de Jesus.[4]

Infelizmente, ainda há, em pleno século XXI, quem tente opor Jesus aos outros escritores bíblicos. Como disse Gresham Machen, tem-se a impressão que o liberal substitui a autoridade da Bíblia pela autoridade de Cristo. Tal homem diz que não pode aceitar o que ele considera um ensino imoral do Antigo Testamento ou um argumento sofisticado de Paulo, em oposição os simples e morais ensinos de Jesus. Assim, ele se considera o mais puro verdadeiro cristão, uma vez que, rejeitando todo o restante da Bíblia, ele só depende de Cristo[5].

Paulo deixa claro que as suas epístolas também são coisas que Jesus agora nos ordena, de tal modo que “aquele que rejeita estas coisas não está rejeitando o homem, mas a Deus” (1 Ts 4:8). Você entendeu bem o que acabou de ler? Você nega a Deus se ignora todo o escopo do Novo Testamento! Como comenta Thomas Edwards: “Quem se recusa a ouvir os apóstolos de Cristo recusa-se a ouvir o próprio Cristo e atrai sobre si seu descontentamento”[6]. Homens como Caio Fábio e sua corja, que tratam o que é revelado após Jesus como contaminado com o machismo, judaísmo ou o diabo estão, na verdade, negando a Deus. O destino dos que tal coisa fazem é certo e inequívoco, a menos que se arrependam de sua blasfêmia. Parafraseando o que o Dr. Jay E. Adams diz sobre Paul Tillich, durante uma das suas preleções na Conferência Fiel para Pastores e Líderes, em 1989: “Ler ou ouvir um sermão de Caio Fábio é ouvir o que o inimigo tem a dizer”[7].
__________________________
[1] FÁBIO, Caio. Pra eles, sou um herege, pois eles estão na bíblia, e eu estou em Jesus! Disponível em: . Acesso em: 3 jun. 2013. [2] FÁBIO, Caio. A Bíblia serve a Jesus, não Jesus à Bíblia! Disponível em: . Acesso em 5 jun. 2013. [3] FÁBIO, Caio. Caio, esse trecho da carta de Paulo não parece com Jesus. Por isso odeio a Jesus! Disponível em: . Acesso em 28 set. 2013. [4] MACHEN, Gresham. Cristianismo e Liberalismo. São Paulo, SP: Sheed Publicações, 2012, p. 43. [5] Ibidem, p. 68.
[6] EDWARDS, Thomas. A commentary on the first epistle to the Corinthians. London: Hodder & Stoughton, 1903, p. 384.
[7] Referência muito bem lembrada por Alan Rennê Alexandrino Lima, no Facebook.
***
Fonte: Blog do Yago Martins, via Ump da Quarta. Divulgação: Púlpito Cristão.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

O suprimento de Deus

Postagem do Facebook  
BOM DIA!

No meio de nossas dores e faltas, somos tendentes a depender de pessoas e colocar nossas expectativas nelas. Desejamos que elas nos dêem o que precisamos. E não é atoa que nos frustramos e magoamos.

O ser humano é limitado. Não podemos exigir que alguém nos dê algo que talvez nem tenha e nem possa dar.

O salmista em meio as suas dores orou ao Senhor dizendo:"Presta-nos auxílio na angústia, pois vão é o socorro do homem." - (Salmos 108:12)

A verdade é que temos que eleger Deus como supridor de todas as nossas necessidades. Deus ao suprir pode usar alguém, mas não podemos confiar que esse alguém seja a fonte do suprimento. Ele é apenas o meio.

Coloque o seus desejos, suas dores, suas expectativas em Deus. Não as deixe nas mãos do cônjuge, dos pais, dos amigos, do namorado(a) etc. Não exija de outros o que só Deus pode lhe dar.

Tenha um bom dia!